Prefeitos da RMR cortam gastos da folia

20150205_121706

Os prefeitos de Itapissuma, Abreu e Lima, Igarassu, Araçoiaba, Goiana e Condado anunciaram, há pouco, na sede da Amupe, no Recife, a decisão conjunta de um corte entre 70% e 80% nos gastos com as despesas do carnaval.

Eles disseram que numa reunião anterior chegaram a discutir o cancelamento total do carnaval por causa da crise econômica, mas resolveram manter a festa sob a alegação de que o carnaval é um patrimônio do Estado e uma tradição que tem que ser mantida.

O prefeito de Itapissuma, Cal Volia (PSDB), disse que no carnaval do ano passado a prefeitura investiu cerca de R$ 500 mil, mas este ano os quatros dias de folia custarão apenas 150 mil, uma economia de 350 mil reais para os cofres municipais.

Essa economia, segundo ele, vai ser revertida para investimentos na construção de postos de saúde e melhoramento de serviços na rede municipal de saúde. Itapissuma cortou todos os polos tradicionais deixando apenas o polo da sede.

Já o prefeito de Goiana, Fred Gadelha (PTB), que no ano passado investiu R$ 1,2 milhão, reduziu os custos para 250 mil no seu carnaval. Ele disse que suspendeu o carnaval em todos os polos, cortou todas as atrações de fora e manteve apenas um único polo de folia sem artistas famosos e nem mesmo locais.

O prefeito de Igarassu, Mário Ricardo (PTB), disse que vai gastar entre R$ 250 a R$ 300 mil enquanto no ano passado foi investido R$ 1,5 milhão. Ele cortou todos os polos e manteve apenas a folia na sede.

Também presente ao ato a prefeita de Condado, Sandra Felix (PSDB), anunciou que chegou a pensar em cancelar o carnaval, mas decidiu que não poderia deixar a população sem a festa, por se tratar de uma grande tradição e um patrimônio cultural e histórico do município. Ela disse que vai gastar apenas 50 mil reais, enquanto, no ano passado, investiu 250 mil.

Tradicional palco do desfile dos maracatus em Pernambuco, Araçoiaba também decidiu cortar em 80% os custos da festa mantendo apenas o apoio aos mais de 100 grupos de maracatu da cidade. “Este vai ser o carnaval da crise, e eu não poderia deixar de promove-lo porque os maracatus são patrimônio nacional”, disse o prefeito Joamy Alves (PDT).

Fonte: Blog do Magno Martins

FacebookTwitterGoogle+WhatsAppPrint

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *